terça-feira, 19 de junho de 2012

Partidos e eleições municipais





Eu já escrevi aqui outro dia que em eleições municipais no Brasil, os partidos políticos só servem para atrapalhar. Isto me vem à cabeça pela situação incômoda em que ficaram vários líderes em ter que apoiar pessoas que, se pudessem, não as queriam ver nem pintadas.

Vejam o caso de São Paulo. Todos sabem que Lula não hesitaria em vender o Parque Dona Lindu e aquela que lhe deu o nome para ganhar uma eleição. Até aí tudo bem, pois mãe é mãe. Mas, se aliar a Maluf já é demais. E pior, aceitar a Erundina na chapa é um verdadeiro sacrilégio, para ele e para ela se aceitar. Tudo isto para dar a vitória a outro poste, muito pior do que a Dilma, pois o Haddad realmente não serve para coisa da política, a não ser escrever livros sobre as delícias do sistema socialista.

E o caso do Recife então?! Nunca vi uma lambança mais bem urdida do que aquela que aprontou o PT. Se este partido continuar no poder aqui, precisaremos de galões e galões de Óleo de Peroba para passar na cara dos nossos eleitores. Posso até dizer, como se dizia em relação à saúva antigamente, ou o Recife acaba com o PT ou o PT acaba com o Recife. E penso que o nosso Coronel Eduardo sabe disto e quer tirá-lo de qualquer jeito. O único empecilho, no momento ainda é o Lula. Sempre ele. Se não conhecesse o Zezinho e não lesse o Hadriel e o Rafael Brasil, eu diria que  Caetés tem um traço genético/geográfico de péssimo gosto político.

E, para não dizer que as coisas no Brasil não podem piorar, aqui no Recife, pela desunião gerada por esta tal de Frente Popular do Eduardo, há ainda uma possibilidade de vermos o PT por mais 4 anos na prefeitura. E, pasmem, para que isto não aconteça temos que rezar por um petista, o João da Costa, para que ele não deixe ninguém de sua tendência (petista não tem mais ideologia, pois não cabe neles, têm tendência) votar no Humberto, cujo maior trunfo é falar tão fino quanto o senador bom-conselhense Randolfe Rodrigues (este diz, que tem a voz fina mas fala grosso, o Humberto nem isto).

E por falar em Bom Conselho, sem fugir do tema dos partidos e eleições municipais. Vejo que lá o PT está se aliando ao PR, partido dos inocentes, em uma chapa que talvez ainda não tenha sido aprovada pelo Isaltino. Não sei se vai prá frente, pois o que estou tentando dizer é que do PT podemos esperar tudo, inclusive, o deputado dos transportes chegar lá e dizer: a chapa correta vai ser a Mamãe Juju e o Washington Azevedo. E, se alguém fizer algum barulho, basta dizer que foi o Lula que mandou.

Eu ainda acredito que o vice da Mamãe Juju será o supersecretário. Se não for ele, seria uma pena, pois ele demonstrou uma boa capacidade de trabalho e tem “pedigree”, mas, nunca mais terá vez na política de Bom Conselho. Se isto (não ser o vice) acontecer eu aconselho ao supersecretário que se candidate a vereador e me espere lá em 2016, para fazermos uns cursos juntos, pela internet e sem gastos com diárias.

Aliás, se algumas pessoas que pensaram em se candidatar a prefeito, não conseguindo, se candidatassem a vereador, nossa Casa de Dantas Barreto poderia ser renovada para melhor. Não precisaria nem esperar minha chegada em 2016. Como dizia minha mãe, “se conselho fosse bom não seria dado, mas, vendido”, e este que dou podem comprar que é um bom conselho para Bom Conselho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário