quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

O caso Yoani Sanchez. Uma vergonha nacional





Quase agora, depois de ter feito minhas obrigações de blogueira antenada, procurando zelar por esta atividade tão vilipendiada em Bom Conselho, eu estava escrevendo sobre um filme que assisti no último domingo, que é um primor, chamado Os Miseráveis. Entre uma teclada e outra eu fui à internet, e, no Blog do Augusto Nunes,  encontrei um texto e um vídeo, que me fez parar e pensar.

Pensando, o que os petistas deixaram de fazer, deixando a cúpula cubana fazer por eles, eu disse: vou deixar estes Miseráveis para depois, e tratar dos miseráveis de que trata o Augusto Nunes, que são os petistas que tentaram mexer coma liberdade de expressão no caso da blogueira Yoani Sanchez. E mexeu com a liberdade de expressão, mexeu comigo.

Vejam o vídeo e o texto do Augusto, e depois eu volto para tratar sobre os miseráveis cubanófilos.


“O vídeo ilustra a reportagem publicada pelo jornal italiano La Stampa que resume o primeiro dia de Yoani Sánchez no Brasil. São 4min10 exemplarmente pedagógicos. A selvageria dos patrulheiros alugados colide frontalmente com a serenidade da blogueira cubana. As cenas de primitivismo explícito protagonizadas por revolucionários de galinheiro contrasta penosamente com a silenciosa aula de dignidade ministrada pela visitante. Ouçam as palavras de ordem berradas pela turma das cavernas. Confrontem a gritaria desconexa com as observações sensatas da mulher sem medo. E reconheçam: o país que pensa tem o dever de envergonhar-se desse grotão cafajeste que Yoani foi obrigada a contemplar minutos depois do desembarque.

O que há com os democratas brasileiros que se deixam dobrar por um punhado de baderneiros sem causa nem cérebro?, estaria perguntando Nelson Rodrigues. O que esperam os políticos eleitos pela oposição para formarem escoltas que garantam a Yoani, fisicamente, o direito à palavra? Baianos e pernambucanos perderam uma boa chance de deixar claro que o Brasil não é Cuba. Nem será, precisa saber a visitante antes de seguir viagem. Nesta quarta-feira, ela conhecerá a maior metrópole do país. Cumpre aos brasileiros de São Paulo mostrar-lhe que, apesar do PT, do PCdoB e de outras velharias ideológicas, a democracia continua em vigor. E não será revogada.”

O jornalista foi ao ponto. A jovem blogueira se mostrou tranquila ao ponto de me emocionar, mesmo se não dissesse uma só palavra. Mas, ele disse, e mesmo que meu espanhol seja pior do que meu inglês, deu para entender perfeitamente o que é a o regime político de opressão em que vivem os cubanos.

Antes de morrer ou para não morrer o Fidel tenta mudar seu regime para que todo um povo lutador não morra de fome. Fome física mesmo, biológica e não só a fome de liberdade que parecia morta, mas, teima em renascer em pessoas como a Yoani, e que morreu mais um pouco no Brasil, onde aconteceu o vexame mostrado no vídeo acima. Estou envergonhada como brasileira e como gente pelo comportamento dos brucutus que atuaram nele.

Depois escrevo sobre Os Miseráveis do Victor Hugo, pois hoje já vimos miseráveis demais.

2 comentários:

  1. COMO DIZ O JORNALISTA AUGUSTO NUNES: “A selvageria dos patrulheiros alugados colide frontalmente com a serenidade da blogueira cubana. As cenas de primitivismo explícito protagonizadas por revolucionários de galinheiro contrasta penosamente com a silenciosa aula de dignidade ministrada pela visitante”. E MAIS: O que há com os democratas brasileiros que se deixam dobrar por um punhado de baderneiros sem causa nem cérebro?!?!?! YOANI!!! VOCÊ VENCEU ESSA BATALHA COM ARGUMENTO DO CHE: ” SEM PERDER O EQUILÍBRIO NEM A TERNURA JAMAIS”. E RESUME TUDO NUMA FRASE: “EU SOU UMA ALMA LIVRE”. NÃO É SÓ CUBA LIBRE... É MAIOR, ALMA LIBRE!!!

    ResponderExcluir
  2. José Fernandes Costa20 de fevereiro de 2013 23:58

    Yoani Sánchez merece nosso respeito. - É inacreditável que um bando de cafajestes venha afrontar essa mulher que nos visita. - Ela quer levar adiante a bandeira que carrega com coragem e sensatez. Estamos num mundo moderno, ainda que as desigualdades sociais campeiem mundo afora. - Mas há um esforço de alguns abnegados, para reduzir essas desigualdades que reinam no Brasil, em Cuba, na África, nos EUA, na América Latina etc. - Então, hostilizar essa mulher, com arroubos de cafajestadas é prova de muita ignorância. - Por outro lado, o governo brasileiro tem a obrigação de dar apoio e proteção para que Yoani leve sua mensagem aos quatro cantos deste país. E, daqui, siga em paz para outros países. - E, ainda, quando ao sair daqui, possa ela levar boas lembranças da nossa terra. Que ela possa se esquecer dessa récua de primitivos. - E isso é possível. - Basta tirar do meio do caminho dela essa horda desprezível, que pretende linchar a ilustre visitante./.

    ResponderExcluir